#95

O livro de Salmos é um livro especial. O que é particularmente interessante neste livro é que os escritores não se limitaram em elaborar salmos de conforto e de louvor. Grande parte do conteúdo dos salmos é o desnudar da alma de seus autores, o exercício de ser completamente honesto com DEUS, expondo suas dúvidas e seus medos. A forma elegante, artística e profundamente sincera em que os salmistas se expõem ao externar sua humanidade, suas dúvidas e imperfeições, não parece ser uma propaganda muito boa para a religião pregada atualmente, onde fórmulas de sucesso e prosperidade incondicional a qualquer custo são apresentadas a tiracolo.

O verso 1 do Salmo 23 é provavelmente o verso mais conhecido e mais amado de toda a Bíblia. Certamente é o verso com mais músicas compostas, poemas escritos, livros publicados.

A figura de DEUS como pastor e Seu povo como suas ovelhas, acompanhadas da intimidade e entrega recíproca entre um e outro, é comum nas Escrituras. A primeira vez em que a idéia aparece é em Gênesis 48:15: “O DEUS em cuja presença de meus pais Abraão e Isaque viveram, o DEUS que tem sido o meu pastor durante toda a minha vida até o dia de hoje.” Esta idéia também aparece em outros Salmos (78:52; 80:1; 119:176).

Ao analisar o verso 1 do Salmo 23 na língua original, percebe-se claramente que o autor deste versículo queria dar um enfoque diferente do que normalmente percebemos quando lemos. Uma sugestão de tradução do hebraico seria:

“O Salmo de Davi: O Senhor é meu pastor; não irei querer.”

A palavra usada para “pastor” denota a total responsabilidade do pastor em relação ao seu rebanho, que dependente integralmente dele; ele é o líder que guia o rebanho, as ovelhas possuem total confiança em seu pastor e sabem que, desde que o pastor seja o seu líder e guia, não precisarão de mais nada, pois ele provê tudo (alimento, liderança, sustentação, governo).

O salmo 23 está intimamente ligado com o que foi escrito em Ezequiel 34:11-24 (a palavra “pastor” aparece várias vezes no texto hebraico), onde DEUS faz promessa de ser o pastor de Israel.

O salmo 23:1 enfatiza o cuidado permanente de DEUS, e não o custeamento de bens materiais, prestígio ou posições neste mundo. A má interpretação, porém, tem infelizmente causado um distanciamento da própria essência deste Salmo para com outras áreas da vida, normalmente a área da profusão física e fartura material.

O autor neste Salmo, está ensinando que o “nada me faltará” não diz respeito às necessidades físicas ou materiais. O Salmista quer transmitir algo muito mais rico, mais profundo e mais sublime!

Não é pelo fato de DEUS ser o pastor q seu rebanho automaticamente terá tudo. Muito pelo contrário. É pelo fato de que o SENHOR sendo o pastor, Seu rebanho não irá querer mais nada além dEle.

Richard Valença