#48

Se você pudesse perguntar a DEUS qual a razão dEle ter criado o ser humano e Ele respondesse algo do tipo “porque sou capaz de criar”, esta seria uma resposta decepcionante.

Provavelmente, você esperaria que Ele dissesse pelo menos a resposta de pais quando perguntados sobre a razão e terem idealizado e gerado uma filha: “Porque não há nada mais emocionante e nobre do que criar filhos”.

Criar apenas pelo poder de criar não passa de demonstração de competência. O poder sem amor gera autoritarismo e medo. A Bíblia não diz que “DEUS é poder”, e sim que “DEUS é amor” (I João 4:8), e “o perfeito amor lança fora o medo”. (1 João 4:18)

Mas este DEUS não teria apenas inventado o ser humano e o mundo e depois não teria se ocupado em criar novos mundos e seres?

A crença de que DEUS teria criado o mundo e o ser humano e que depois os teria deixado por sua conta e risco é o que chamamos de deísmo. É verdade que o aparente silêncio de DEUS diante de tanto horror e violência pode dar a impressão de que não há mais ninguém no comando. No entanto, um DEUS de amor é incompatível com Sua distância definitiva dos nossos problemas. Seria como uma mãe que, depois de dar à luz, fosse embora e deixasse seu filho com uma casa mobiliada. DEUS não disse: “Crescei, multiplica-vos e se virem”. Aprendi que Ele diz: “Vinde a Mim”. Fico pensando se não somos nós que nos deixamos uns aos outros pela própria conta e risco.

Este “Vinde a Mim” não é para que sejamos punidos, mas para que encontremos um sentido para nossa existência raquítica de poucos anos e entendimento raso. É um convite interessado em salvar a criatura.

Ao tomarmos a Bíblia como explicação que dá sentido à existência humana e à ação divina, podemos entender a criação e a necessidade de salvação. Se por um homem o pecado começou (Romanos 5:12), pelo Filho do Homem, Jesus, a salvação foi dada. Assim como a Criação, a Salvação também mostra o poder e o amor de DEUS. Não basta poder para criar, é preciso amor para salvar. Também não basta amor para criar, é preciso poder para salvar.

Então, se de fato fomos criados por DEUS e salvos pelo mesmo DEUS, por que a Bíblia fala de um Criador que destruirá o mundo? Tremendo mistério, aparentemente por ser incompatível com um DEUS de amor. Mesmo os escritores bíblicos não sabiam revelar o mistério da destruição: o profeta Isaías descreveu este ato como “a estranha obra de DEUS” (Isaías 28:21).

Enquanto o poder sem amor é autoritarismo, o amor sem justiça é complacente em excesso. Embora seja “tardio em irar-Se”, DEUS é descrito como “grande em poder e ao culpado não tem por inocente” (Naum 1:3). Neste verso bíblico, estão relacionados o amor paciente, o poder imenso e a justiça necessária.

Segundo a Bíblia, mesmo a destruição do mundo e da maldade tem o propósito de garantir existência e felicidade eternas de Suas criaturas em uma terra recriada.

Agora alguém pode perguntar: Quem é bom? Quem merece ser salvo e não ser destruído? Não sei quem será merecedor, mas creio que o amor de DEUS maravilhosamente incluirá, Sua justiça sabiamente excluirá e Sua graça misericordiosamente decidirá.

Joêzer Mendonça